BRAINSTORMING NA GESTÃO DA QUALIDADE

O QUE É?

O Brainstorming, ou “tempestade de ideias”, como é traduzido no português, é uma ferramenta que possibilita uma troca de ideias rápida e sem preconceitos. É isso mesmo, você diz o que vier a sua cabeça, sem ter que pensar muito a respeito dessa ideia.

O conceito do Brainstorming é quantidade e não qualidade. Essa é uma forma de integrar as pessoas e conhecer pontos de vista diferentes, de uma forma dinâmica, buscando encontrar soluções, melhorias e/ou inovações.

COMO FAZER?

Para começar, é necessário deixar bem claro para todos os envolvidos qual a pauta dessa reunião, para que as pessoas direcionem suas ideias a um objetivo comum. É normal que algumas sugestões sem nexo surjam, mas é importante a participação de todos.

O fato é que muitas vezes, a partir de uma ideia aparentemente ruim, pode surgir uma ideia boa. Esse é o objetivo dessa estratégia. Alimentar a troca de ideias, complementar uma ideia com a outra, encontrar falhas que muitas vezes passam despercebidas, etc. Por isso é muito importante ter alguém para anotar tudo durante a reunião, para que ao final seja feita uma análise de tudo aquilo que pode ser aproveitado.

COMO ESSA REUNIÃO DEVE OCORRER?

É muito importante que a participação de todos os envolvidos, afinal, quanto mais ideias, melhor. Porém, é necessário que haja organização para que não se torne algo improdutivo, onde todos falam ao mesmo tempo e ninguém entende nada. Deve haver uma pessoa gerenciando essa reunião. Cada um deve falar na sua vez e todos devem respeitar a opinião de todos, sem criticar e/ou interromper o outro. Desta forma, garante-se a produtividade, a eficácia, além de manter o respeito entre a equipe.

O Brainstorming trata-se justamente disso, do respeito, da diversidade de opiniões, da troca de ideias saudável. Afinal, nada é mais enriquecedor do que poder enxergar as coisas de vários pontos de vista. A melhoria contínua e a inovação dependem disso.

Essa é uma ferramenta muito eficaz para solucionar de problemas e aprimorar processos. Deve ser utilizada em conjunto com outras ferramentas da gestão da qualidade, como por exemplo o Diagrama de Pareto, que é uma ferramenta que objetiva encontrar as causas dos problemas. Quando integramos essas ferramentas, aumentamos a eficácia dos resultados alcançados, pois uma complementa a outra.