Análise Crítica do Sistema de Gestão da Qualidade

A análise crítica deve ser feita para revisar a eficiência do sistema de gestão da qualidade. Dessa forma, evidencia-se os resultados obtidos, possibilitando que melhorias sejam aplicadas. A alta direção deve fazer essa análise de forma criteriosa, portanto seu envolvimento com os objetivos do sistema de gestão é fundamental.

Segundo a norma ISO 9001:2015 a análise crítica deve ser realizada levando-se em consideração:

1. Em que situação se encontram as ações planejadas nas análises críticas anteriores?

2. O que mudou interna e externamente no contexto organizacional?

3. Informação sobre o desempenho e eficácia do sistema de gestão da qualidade, incluindo tendências relativas a:

          A. Satisfação do cliente e retroalimentação de partes interessadas pertinentes;

          B. Extensão na qual os objetivos da qualidade forem alcançados;

          C. Desempenho de processo e conformidade de produtos e serviços.

          D. Não conformidades e ações corretivas;

          E. Resultados de monitoramento e medição;

          F. Resultados de auditoria;

          G. Desempenho de provedores externos;

4. A suficiência de recursos;

5. A eficácia de ações tomadas para abordar riscos e oportunidades;

6. Oportunidades para melhoria.

Após fazer a análise completa de todos esses itens, é necessário planejar as ações que deverão ser realizadas de forma a alcançar os objetivos do sistema de gestão, para isso usa-se o termo “saídas”, são elas:

  1. Oportunidades de melhoria
  2. Necessidades de mudanças
  3. Necessidades de recursos

Para garantir sua eficácia é essencial que essa análise seja realizada periodicamente, é claro que a frequência pode ser decidida pela direção, em parceria com a equipe.

A análise crítica é ideal para direcionar a equipe na busca por melhorias na gestão da qualidade. Quando paramos para ver os resultados que estamos alcançando, conseguimos enxergar detalhes que muitas vezes passam despercebidos, mas que fazem grande diferença.

Ao final, deve-se estabelecer um planejamento com as ações que serão necessárias, sejam ações corretivas (no caso de não conformidades) ou simplesmente melhorias. O importante é estabelecer um plano para que a equipe saiba qual caminho deve seguir para alcançar os objetivos da Organização e continuar sempre aprimorando o sistema de gestão da qualidade.

Referência Bibliográfica:

Associação de Inspetores

ASSINE A NOSSA NEWSLETTER E RECEBA NOTIFICAÇÕES SOBRE NOVOS ARTIGOS!